Diante de Jesus não há máscaras

É exatamente a nossa condição de querermos seguir a Jesus, sem termos que abrir mão de algumas coisas que são maiores do que Jesus em nossa vida que desperdiçamos as Graças por Ele ofertadas. E só Jesus mesmo pode nos mostrar que, apesar de nosso comportamento ser aprovado diante de alguns que não têm discernimento, diante d’Ele tudo se descortina, nada fica em oculto diante de Sua presença. Diante de Jesus não há máscaras. Continue lendo “Diante de Jesus não há máscaras”

NÃO DÊ VALOR AO QUE NADA VALE!

sadnessNormalmente quem sofre por algo insignificante e sem importância, se acha injustiçado, e a injustiça pode até ter acontecido, mas o fato de alimentar esse sentimento de autopiedade já te tira da posição de vítima. Sofrer por algo  insignificante, vai consumir os dias, consome os relacionamentos, consome a gratidão e consome a FELICIDADE!
Portanto, não sofra, olhe a situação como um todo, seja maduro para analisar o sofrimento de modo equilibrado para poder se conter, seja firme para se posicionar, mas não sofra, não alimente insignificâncias, não dê valor ao que nada vale!
Minha benção Continue lendo “NÃO DÊ VALOR AO QUE NADA VALE!”

ACEITAR A CORREÇÃO

coracao-com-curativos-feridoOs ferimentos dos nossos erros devem ser tratados pelo Médico divino, mas Ele não operará se não for procurado. E esta procura é pela entrega.  Devemos nos sujeitar debaixo da potente mão de Deus, e receber de bom grado os juízos corretivos, por mais que estes nos doam, porque é assim que se acha graça em ocasião oportuna. Quanto mais tentarmos justificar a nós próprios, maiores abismos se abrirão e engolirão ainda mais o nosso espírito em suas profundezas.
Minha benção
Diácono Glén Borba.

2699301384_fc5b44355e“E tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, vo-lo farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Qualquer coisa que me pedirdes em meu nome, vo-lo farei. Se me amais, guardareis os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco.”

João 14, 13-16.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑